Apoiadores:


Startups

Poder do Voto: Ex-diretor do PayPal da América Latina cria app para monitorar deputados e senadores

Mario Mello quer criar ponte que aproxima eleitores dos parlamentares a fim de promover uma política mais representativa no congresso e no senado.

Uma pesquisa nacional realizada pelo Paraná Pesquisa, em 26 estados do país mais o Distrito Federal, indica que 90,8% dos 2.184 entrevistados acredita que deveria haver a diminuição no número de deputados federais e senadores.

O dado é um reflexo da relação que os brasileiros têm com seus representantes estaduais e federais: descrença.

É esse cenário que o fundador do aplicativo Poder do Voto, Mario Mello, quer mudar.

Ex-diretor geral do PayPal da América Latina, após três décadas trabalhando no mercado financeiro, foi numa aula de ciência política que Mario decidiu mudar – ou tentar – melhorar esse comportamento.

A frase de um professor de que líderes precisam começar a atuar para impactar a vida das pessoas me marcou muito.

Mario Mello

Assim ele decidiu investir energia a fim de buscar esperança.

“As pessoas, de uma maneira em geral, pensam na política quando votam. Meu desejo é que elas usem a tecnologia para garantir representatividade. Parar de xingar e gastar energia no Facebook ou Whatsapp, que não foram feitos para discutir política, e acompanhar o parlamentar por uma ferramenta que permite se atualizar sobre as votações em 5 minutos”, explica.

A ferramenta é simples: cada usuário tem direito a seguir um deputado federal e dois senadores do seu estado. “Nós utilizamos o critério de relevância pública para alertar o usuário antes da votação de leis de impacto, como as PECs (Projeto de Emenda Constitucional) e MPs (Medida Provisória)”.

A estratégia foi escolhida para que usuários não acabassem desativando o app devido ao volume de alertas caso fossem cadastradas todas as votações no Congresso e Senado.

Ao acompanhar os legisladores, o usuário tem a oportunidade de opinar se é a favor ou contra as pautas em votação, escrever ou não um texto direcionado ao parlamentar, e ainda tem a opção de votar publicamente ou no privado para o congressista.

É a oportunidade de ver se o seu deputado te representa votando igual você gostaria. Se ele não o faz, o app mostra todos os deputados do seu estado que votaram parecido com você.

Além dos usuários compostos por cidadãos comuns, o Poder do Voto conta com a presença de entidades como OAB (Ordem dos Advogado do Brasil), Instituto Millenium, DIAP (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar), Ranking dos Políticos, entre outros.

No entanto, a participação destas não é a mesma que dos usuários.

“O voto da entidade vai para o usuário, que explica o porquê ela é a favor ou contra da lei em questão, ajudando a esclarecer e tirar o usuário da bolha”, diferencia Mário.

Lei da transparência, crawling de dados e agenda de lideranças

Para manter o aplicativo sempre atualizado, o Poder do Voto funciona em duas fases de alimentação que ocorrem automaticamente pela Lei da Transparência e por meio de crawling de dados.

O app ainda captura as leis por meio da agenda das lideranças, atualizada toda terça-feira.

“O app é mantido apenas com o trabalho de voluntários e três empresas consultoras. Temos apoio de pessoas físicas e fundações e apenas empresas que trabalham pro-bono. Neste ano, recebemos o apoio do Google, por meio de créditos no Google Ads, além de entidades que não pagam, mas colocam recursos à disposição”.

#leiaTambemIsrael: do tomate cereja a um ecossistema impressionante

Do outro lado da tela do Poder do Voto

Por conta da Lei da Transparência, todos os parlamentares, ativos ou não, são compulsoriamente inscritos no app.

Dos 513 deputados federais e 81 senadores, hoje cerca de 70 utilizam bastante a ferramenta.

“Colocamos uma pessoa em Brasília que visita os gabinetes e mostra o valor do App e o feedback é sempre positivo”. 

Desde fevereiro, o app já registrou 385 mil votos e conta com quase 60 mil usuários.

Entre os princípios do app está o de não gerar ranking de políticos e não distribuir as informações dos usuários segmentadas a terceiros.

O celular é o controle remoto do mundo. Imagina o deputado ou senador no seu celular, ressignificando a palavra servir, usando a democracia 2.0 para fortalecer a cidadania.

Ficha técnica do Poder do Voto

Nome: Poder do Voto
Local de origem: São Paulo/SP
Fundação: Agosto de 2018
Fundador: Mario Mello
Modelo de negócio: Associação sem fins lucrativos, mantida exclusivamente por doações de pessoas físicas
Usuários ativos: Aproximadamente 60 mil

Pitch do Poder do Voto

Que problema resolve: O aplicativo resolve três problemas

  1. Acompanha de perto o trabalho de dois deputados e um senador, aproximando o usuário da política.
  2. Promove a melhor compreensão de de leis e projetos, através de explicações de diversas associações e entidades, como OAB e DIAP, ajudando a tirar o usuário/eleitor da “bolha” com esclarecimentos.
  3. Possibilita verificar se o candidato está votando de acordo como seu voto e a base de eleitores gostaria, além de mostrar os deputados e senadores que votam mais parecido com você.

Qual é o diferencial: Limitar o número de representantes para acompanhar, filtrar os projetos em votação conforme o impacto social, como estratégia para não afastar o usuário com volume excessivo de notificações de votações em andamento.

Estágio atual: Divulgação do aplicativo junto a grandes empresas e redes sociais, participação em eventos, crescimento orgânico da base de usuários. 

Investimento X Faturamento: Não há faturamento. O aplicativo é totalmente gratuito. 

Onde encontrar: Google Play, App Store ou pelo site poderdovoto.org.

mm
Autor

Jornalista com um pézinho na publicidade e que acredita na comunicação responsável. Gosto das ações que provocam mudanças o mesmo tanto que gosto de bichos.

Write A Comment