🚀  Buscando inspiração, motivação e muito conhecimento?

NÃO SIM!
Giro

Conecta apresenta mapeamento inédito sobre as 1.032 startups do Paraná

Durante o maior evento de startups e inovação do estado, Sebrae/PR revela investimento de R$ 800 milhões em 1.032 startups que empregam 10.000 pessoas.

Apresentado por:

Sebrae/PR

R$ 800 milhões investidos em 1.032 startups que empregam mais de 10.000 pessoas.

Esses são apenas alguns números de um levantamento inédito realizado pelo Sebrae/PR. 

A apresentação desse estudo foi o ponto alto do Conecta 2019, evento realizado pela quinta edição em Curitiba e que, neste ano, reuniu mais de 1.500 participantes em dois dias de palestras, painéis, workshops e muito networking.

Julio Agostini, diretor de Operações do Sebrae/PR, afirma que o relatório é importante para identificar a densidade de startups e os segmentos mais promissores. 

“Esse estudo vai embasar ações que visam desde o fortalecimento dos ecossistemas locais, até a formação de governanças nas principais verticais do estado e o desenvolvimento de empresas inovadoras.”

Sebrae/PR: a porta de entrada para as startups

O Sebrae Paraná começou a atuar com as startups em meados de 2014 e desde então vem trabalhando para se apresentar como uma das portas de entrada para os empreendedores que querem montar uma startup.

Isso porque a instituição está presente nas seis regiões do Paraná, promovendo o tema, a formação de empreendedores e o desenvolvimento de novos negócios, contribuindo para o fortalecimento do ecossistema, com base em duas estratégias:

  1. Startups: através de programas para impulsionar negócios a estágios mais avançados de maturidade.
  2. Ecossistema: difundindo conhecimento sobre o tema em universidades, atuando para formar investidos e promovendo a conexão entre os atores.

O coordenador do Programa Startup do Sebrae/PR, Rafael Tortato, destaca que o próximo passo é estruturar um programa de internacionalização para possibilitar novos caminhos aos empreendedores.

“Ainda existe espaço para melhorar essas conexões e o papel do Sebrae/PR é auxiliar cada vez mais o ecossistema a se autodesenvolver e se tornar mais que simpes um ambiente de negócios. Queremos que ele seja a parte principal da jornada desses empreendedores e do ciclo de vida das startups paranaenses.”

Você sabe o que é o Programa Startup PR?
É um hub de oportunidades aberto ao ecossistema que visa co-desenvolver startups de alta performance. O programa engloba startups, empreendedores, clientes, mentores, instituições de ensino, investidores, coworkings, labs, tech hubs, agentes de fomento, instituições públicas, corporações e funcionários, comitês territoriais, aceleradoras, incubadoras, movimentos, coletivos e veículos de comunicação.

Metodologia do estudo

Os dados primários do estudo foram capturados por meio da própria comunidade estadual e das regionais do Sebrae/PR.

Os secundários são provenientes de fontes relevantes e considerados válidos e em constante crescimento. 

Em suma, o estudo se embasou no seguinte universo:

  • 1.032 startups foi a base total de startups mapeadas 
  • 315 startups responderam à pesquisa em 2019
  • 23 tipos de informações, em média, foram analisadas por cada startup

As verticais de negócio do Paraná

O comportamento do consumidor dita a formação de novos negócios e é um reflexo natural que as startups surjam a partir dessas necessidades. 

O estudo apontou mais de 20 verticais de negócio, mostrando a diversidade do ambiente de inovação do Paraná.

As startups são lideradas pelo ramo agrotech, healthtech e edutech, com espaço para outras verticais relevantes, como a fintech, construtech e biotech.

No total de startups analisadas, veja como elas se distribuem entre as verticais:

  • Saúde e bem-estar: 120 startups
  • Agronegócio: 119 
  • Educação: 98
  • Marketing: 62
  • Varejo: 56
  • Finanças e seguros: 51 
  • Tecnologias verdes e energia: 51
  • Comida: 47
  • Produtividade: 45
  • Mobilidade: 45
  • Indústria 4.0: 45
  • Biotecnologia: 43
  • Construção civil: 33
  • Serviços ao cliente: 31
  • TI e comunicação: 21
  • Big Data: 18
  • Impacto Social: 17
  • Logística: 17
  • Esporte: 15
  • Turismo: 14
  • Imobiliário: 13
  • Recursos Humanos: 14
  • Entretenimento e eventos: 12
  • Jurídica: 9
  • Pet: 7
  • Governo: 3
  • Aeroespacial: 2
  • Cibersegurança:2
  • Outros: 21

Ranking: regiões e cidades com mais startups 

Esse volume de startups identificado pelo Sebrae/PR responde por 8% de todas as startups do Brasil.

Confira a classificação por região e os municípios com mais startups no Paraná.

Classificação por região

  1. Região Leste: 385 startups
  2. Região Norte: 202 startups
  3. Região Sul: 128 startups
  4. Região Nordeste: 119 startups
  5. Região Oeste: 117 startups
  6. Região Centro: 81 startups

Cidades com mais startups

  1. Curitiba (164 startups)
  2. Londrina (85 startups)
  3. Maringá (40 startups)
  4. Pato Branco (38 startups)
  5. Ponta Grossa (35 startups)
  6. Cascavel (28 startups)
  7. Dois Vizinhos (24 startups)
  8. Foz do Iguaçu (15 startups)
  9. Francisco Beltrão (14 startups)
  10. Campo Mourão (12 startups)

Brasil x Paraná: diferenças e semelhanças

Infográfico - Brasil e Paraná: diferenças e semelhanças

O perfil das startups paranaenses

Alguns elementos compõem esse perfil, como as características do empreendedor e das startups mapeadas. Entenda melhor quem são eles, onde trabalham e como sobrevivem.

Características do empreendedor

Sonhos à parte, os paranaenses têm propósito e visão alinhados às atitudes e habilidades empreendedoras que podem transformar suas startups em grandes cases de sucesso. 

Dos 649 fundadores analisados, 543 são homens e 106 mulheres. Ou seja, 83% dos founders são do gênero masculino.

Com relação à faixa etária, 30 a 34 anos é a idade média da maioria dos founders. O estudo revela que apenas 1 fundador tem idade de 15 a 19 anos. 

Estágio, modelo de receita e público-alvo

Além de habilidades e competências empreendedoras, o momento na jornada e a natureza de cada startup influenciam diretamente no desempenho e na evolução do negócio no ecossistema.

O mapeamento do Sebrae/PR revelou que 326 startups estão na fase da descoberta e 574 startups estão nas fases de validação, operação e tração. 

E 18 paranaenses foram consideradas scale-up, ou seja, startups com alto crescimento.

Com relação ao modelo de receita, foram detectados:

SaaS: 52,3% das startups analisadas

Significa Software as a Service ou Software como Serviço, é uma solução baseada na nuvem, que permite que o software seja utilizado em diferentes momentos e plataformas pelo usuário.

Serviços: 12,8%

Como já diz o nome, a receita provém da oferta de um serviço.

Marketplace: 12,3% 

Plataforma que conecta oferta e demanda por produtos e serviços. A monetização é por meio de cobrança de uma taxa relativa a cada operação.

Produtos: 10,3%

Quando a receita da startup é obtida através da venda de produtos.

Outros: 6,6%

Quanto ao público alvo, 48,8% das startups analisadas trabalham em sua maioria com clientes B2B, seguido de 33,8% do público B2B2C e 14,2% do perfil B2C.

E para quem ainda não se familiarizou com essas siglas, uma breve explicação:

  • B2B: Abreviação da expressão em inglês business-to-business, que significa algo como “de empresa para empresa”. O termo refere-se a duas empresas que fazem negócios como cliente e fornecedor.
  • B2B2C: Significa business-to-business-to-consumer e acontece quando a indústria comercializa diretamente para o consumidor, mas esta venda é intermediada e facilitada por outro negócio, seja distribuidor, atacadista ou varejista.
  • B2C: A contrário do primeiro item, o business-to-consumer ou empresa para o consumidor trata-se da operação comercial onde a venda de produtos, serviços ou informações é realizada diretamente entre empresa e consumidor final ou cliente.

Os times e como eles trabalham

Mais de 10.000 pessoas trabalham em startups no Paraná. 

O dado, que impressiona, também mostrou que 51,6% das startups trabalham presencialmente, na maioria das vezes e cerca de 21% trabalha exclusivamente presencial. Outros 19,3% atuam boa parte do tempo de forma remota.

Por conta disso, cerca de 31% das startups analisadas ocupam escritório exclusivo e 20,8% trabalham no formato home office. E outras 22% estão em incubadoras.

O restante se divide entre coworkings (9,5%), escritórios compartilhados (8,5%) e aceleradoras (8,5%).

Investimentos em startups do Paraná

Nem todas as startups que receberam investimento declararam o montante para o estudo, o que torna o valor levantado pelo mapeamento das startups do Sebrae/PR ainda mais expressivo.

No total foram investidos

R$ 818, 5 milhões em 161 startups

e desse total

R$ 13 milhões em 94 startups oriundos exclusivamente de bootstrapping.

R$ 805,5 milhões em 65 startups oriundos de bootstrapping, investimento-anjo, seed, série A, B e C, e unknown.

Não sabe o que é bootstrapping? Descubra no glossário das startups.

A maior parte desse montante foi para startups em scale-up, cerca de R$ 714 milhões.

O restante foi distribuído entre startups nas seguintes fases:

  • Tração: R$ 93,5 milhões 
  • Operação: R$ 6,5 milhões 
  • Validação: R$ 5,5 milhões

As startups que mais receberam investimentos pertencem à vertical de produtividade, seguidas das startups do varejo, finanças e seguros, logística, saúde e bem-estar.

As 6 startups paranaenses para ficar de olho

Entre as startups que podem ser a grande revelação no estado, essas com certeza fazem parte da lista do mapeamento de startups do Sebrae/PR. 

Trizy 

  • Vertical: Logística
  • Cidade: Ponta Grossa
  • Estágio: Tração
  • Pitch: Solução que oferece ferramentas de comunicação entre cargas e motoristas, com um cadastro qualificado que é validado constantemente pelo sistema. A sinergia garante ganho operacional, economiza de tempo e dinheiro para toda cadeia, principalmente caminhoneiros e embarcadores. Atende o público B2B2C, utilizando o Marketplace como modelo de receita para atender cerca de 15 clientes mensais.

Fohat

  • Vertical: Tecnologia verde e energia
  • Cidade: Curitiba
  • Estágio: Validação
  • Pitch: Utilizando tecnologias como Blockchain, Tokenomics, Advanced Metering e Big Data, a empresa desenvolve soluções em software com foco na otimização de ativos de geração de energia e na digitalização da comercialização de recursos de energia distribuídos e descentralizados. Selecionada para o programa de aceleração da Energy Australia, país que sofre muitos problemas no setor elétrico.

Proagro Fácil 

  • Vertical: Finanças e seguro
  • Cidade: Pato Branco
  • Estágio: Operação
  • Pitch: Sistema que permite que toda gestão da documentação obrigatória para acionamento do Proagro, instrumento do Ministério da Agricultura, seja feita dentro da plataforma, eliminando trâmites de envio e recepção da documentação. Atende público B2B, já possui 4 clientes mensais e modelo de receita SaaS.

Trace Pack

  • Vertical: Agronegócio
  • Cidade: Londrina
  • Estágio: Operação
  • Pitch: Equipamento para rastrear o transporte de defensivos agrícolas de forma segura, utilizando tecnologia de IoT (Internet das Coisas). O objetivo é acabar com prejuízos provocados pelo roubo de defensivos das propriedades rurais. Voltada para o público B2B, atende atualmente 2 clientes por mês e opera com o modelo de receita Produtos & Serviços.

My Pharma

  • Vertical: Saúde e bem-estar
  • Cidade: Cascavel
  • Estágio: Tração
  • Pitch: Plataforma que permite a farmácias criarem sua própria loja virtual. Trabalha com público alvo B2B e possui modelo de receita SaaS, em que cada farmácia paga uma mensalidade para ter acesso à solução. Atualmente com mais 50 farmácias cadastradas e crescimento médio de 30% ao mês, operando no modelo SaaS.

Mobilize Eventos 

  • Vertical: Entretenimento e eventos
  • Cidade: Maringá
  • Estágio: Operação
  • Pitch: Sistema que facilita o gerenciamento de cada detalhe de um casamento ou eventos, envolvendo todos os aspectos da organização, desde controle financeiro, check lists a cada demanda apresentada pelo cerimonialista. O objetivo é poupar tempo e tornar mais simples a comunicação com clientes. Voltada para o público B2B2C, a startup tem atualmente 150 clientes e opera no modelo de receita SaaS.

#leiaTambemAs 25 startups mais desejadas para trabalhar no Brasil

Uma startup mapeando startups 

O mapeamento de startups foi realizado pelo Sebrae/PR em parceira com a 
startup Haze Shift Studio, que foi responsável pela estratégia, 
modelagem e análises presentes no relatório. 

A Haze desenhou e coordenou um fluxo para mais de 22 pessoas em todo 
estado coletarem dados das startups de todas as regiões do Paraná. 

O trabalho começou em abril e foi apresentado em primeira mão no mês de 
julho, durante o Conecta 2019.

Conheça a Haze

A startup curitibana foi fundada por Marcos Daniel Goes, que fez 
carreira em grandes empresas, a última em inovação aberta na BRF; 
Leonardo Tostes, que atuou nos últimos anos gerenciando a Hotmilk, 
aceleradora da PUC-PR, e Flávio Ferrer, growth hacker e empreendedor 
serial. 

A Haze é uma consultoria de inovação e transformação digital que 
coordena programas de educação empreendedora, inovação aberta e impacto 
com estratégia fundamentada no design cocriativo e imersivo. 

Um deles é o Renault Experience, que já impactou 4 mil alunos em todo 
Brasil. 

Por meio do programa, estudantes têm a oportunidade de contar com uma 
empresa de nível mundial, referência em inovação e tecnologia, para 
identificar um problema, ter uma ideia e desenvolvê-la até o lançamento 
de uma startup. 

Outro programa recém-lançado com a consultoria da Haze é o Inova-San, 
promovido pela Nissan em parceria com a Comunidade de Inovação 
Sul-Fluminense, a RioSul Valley. 

A comunidade local e estudantes de instituições da região serão 
desafiados a desenvolver soluções para problemas locais relacionados aos 
temas: meio ambiente, mobilidade inteligente e negócios sociais. 

Retrospectiva do Conecta 2019

Durante o Conecta mais de 1.500 pessoas participaram de palestras com representantes nacionais e internacionais de grandes empresas como a Ambev, Nubank, Ebanx, Amazon, Startup Nation – Israel, entre outros.

O Conecta também foi palco do 1º SDG Tech Awards Brasil, premiação da organização dinamarquesa Sustainary

A Sintecsys foi a vencedora da categoria soluções digitais e na categoria igualdade de gênero a startup Blend Edu levou o prêmio. A startup revelação, eleita através do aplicativo Meu Sebrae, foi a Netword Agro. 

Com apoio do Sebrae/PR, os vencedores terão a oportunidade de participar de uma missão de negócios e inovação em Copenhague, na Dinamarca. 

Além das palestras e workshops, em paralelo ao evento rolaram mentorias com importantes nomes do ecossistema e 15 startups atendidas pelo Sebrae/PR ganharam um espaço exclusivo para receber e estreitar o contato com potenciais clientes, parceiros e investidores. 

Os empreendedores puderam dialogar com outras startups e profissionais de multinacionais que foram palestrantes e mentores no Conecta.

mm
Autor

Adoro escrever e dar pitaco sobre tudo, mas tenho carinho por assuntos que ajudam empreendedores, assim como eu, a serem melhores. Jornalista e cofundadora da Rulez.

Write A Comment