Apoiadores:


Startups

Guiabolso: o app que está ajudando brasileiros a reduzir dívidas e ter mais controle financeiro

Startup brasileira reúne em seu aplicativo 5,6 milhões de brasileiros que querem conquistar planejamento financeiro. Para isso, ela conta com parceiros que oferecem crédito e empréstimos com taxas mais baixas e investimentos que rendem mais.

Se você faz parte da maioria esmagadora da população que não faz planejamento financeiro, saiba que se você fosse usuário do app Guiabolso, sua situação não seria um mistério nem mesmo para você.

Isso porque a startup criada em 2014 tem como objetivo organizar a vida financeira das pessoas, de maneira segura e confiável.

Em único aplicativo, eles reúnem todas as suas contas e cartões de crédito, tornando mais fácil acompanhar o saldo atual, que é sincronizado automaticamente, sem necessidade de você atualizar planilhas de forma manual.

Mas o app nem sempre foi assim.

Lá em 2013, antes de chegar a este produto, o recém-nascido Guiabolso dava seus primeiros passos como um site em que as pessoas colocavam seus ganhos e gastos e, em seguida, recebiam uma consultoria.

Foi nessa fase de testes que a startup compreendeu o que os brasileiros realmente precisavam.

A primeira ideia que tivemos foi de fazer um site de orientação de investimentos. Mas foi justamente a falta de costume do brasileiro de se planejar financeiramente e saber informações básicas da vida financeira deles que mudou nossos rumos. Percebemos que boa parte das pessoas sequer sabia quanto ganhava, muito menos quanto e como gastava.

Thiago Alvarez
Sócio-fundador do app

As etapas até chegar ao app Guiabolso: uma ferramenta segura e confiável

Aplicativo Guiabolso

Os sócios-fundadores Thiago Alvarez, 35 anos e Benjamin Gleason, 37 anos, se conheceram e trabalharam juntos na consultoria McKinsey.

Lá, eles encontraram um desejo em comum: fazer uma ação com impacto social que envolvesse o uso da tecnologia e tentasse diminuir as distorções existentes no sistema financeiro.

Passado a fase inicial de testes e consolidado o novo rumo que o app deveria tomar, foi em 2014 que veio a primeira versão do aplicativo para IOS. Com o lançamento da versão para Android em 2015 eles alcançaram 1,6 milhão de usuários com a terceira rodada de investimentos. 

Logo nas primeiras semanas que o aplicativo estava disponível para ser baixado percebemos o quanto ele estava sendo procurado. Tanto que batemos algumas expectativas que tínhamos colocado prazo de alguns meses em poucas semanas.

Em 2016, o Guiabolso deixava de apenas concentrar e organizar informações, para então, apontar soluções e oferecer dicas inteligentes, tornando a startup uma ponte entre a oferta certa para o perfil de cada consumidor. E é assim que a startup há algum tempo possui faturamento sem cobrar nada dos usuários.

→ O Guiabolso aparece na lista das 25 startups mais desejadas para se trabalhar no Brasil

Como ajudar uma pessoa endividada e economizar dinheiro

Diante do levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), que aponta o endividamento de 62 milhões de brasileiros, o Guiabolso tem pela frente um amplo mercado a explorar, já que sua receita vem das comissões que eles recebem pela indicação de clientes (que são feitas somente como o consentimento dos usuários) para parceiros de crédito, investimentos ou seguros.

“A gente usa Inteligência Artificial e Machine Learning pra entender melhor cada pessoa conectada ao aplicativo. E assim, conseguimos passar dicas personalizadas do que mais faz sentido pra ela naquele momento específico, ou qual o produto que mais pode ajudá-la. Seja em um momento em que ela está no vermelho ou numa situação em que o caixa dela já está no azul e é possível multiplicar mais rápido aquele dinheiro a mais que ela tem”, conta Thiago sobre como a AI é fundamental para refinar cada vez mais o produto oferecido.

A plataforma se consolidou em parcerias com bancos e instituições financeiras que aceitaram conceder crédito aos usuários. Não qualquer crédito, mas os que atendessem ao propósito do app: crédito mais justo, focado no consumidor.

É uma relação de ganho pra todos. O cliente por ter opções mais interessantes e que permitem ganhos maiores ou pagamento de juros mais baixos. A empresa ganha uma indicação mais qualificada de alguém que já foi mapeado financeiramente pelo Guiabolso e o app recebe uma parte desse investimento e destes ganhos da empresa.

Atualmente, o aplicativo soma 5,6 milhões de usuários e cumpre satisfatoriamente o objetivo e propósito inicial. Com a média de um ano de uso do Guiabolso, as pessoas passam a investir 49% a mais e conseguem ficar com 62% a mais de dinheiro nas contas.

E claro que a organização das finanças não é mais o único pilar importante para Thiago.

“O esforço hoje em dia também inclui a personalização das dicas e das recomendações que são dadas pelo nosso sistema e a curadoria dos melhores produtos pra eles”. Thiago dá mais detalhes – de cabo a rabo – do pitch do Guiabolso abaixo.

Ficha técnica do Guiabolso

Nome: Guiabolso
Local de origem: Pinheiros – São Paulo
Fundação: 2013
Fundadores: Benjamin Gleason e Thiago Alvarez
Sócios: Benjamin Gleason e Thiago Alvarez
Modelo de negócio: SAAS e Marketplace

Pitch do Guiabolso

Que problema resolve: Organizar a vida financeira das pessoas, concentrando em um só local as contas e cartões de crédito que são sincronizados com os bancos.

Qual é o diferencial: Mostra as melhores opções de empréstimos, investimento, instituições financeiras e cartões que mais se encaixam no perfil de cada pessoa.

Estágio atual: Consolidado. O Guiabolso tem reconhecimento por parte dos usuários, do mercado, das associações ligadas ao  nosso escopo de atuação e até mesmo de instâncias maiores e representativas como por exemplo o Cade, o Banco Central e empresas tradicionais do setor financeiro

Investimento X Faturamento: Desde de 2014, o app já recebeu R$ 215 milhões em cinco rodadas de investimentos. Entre os principais financiadores estão nomes como o International Finance Corporation (IFC), braço financeiro do Banco Mundial, fundo Vostok, Kaszek Ventures, Ribbit Capital, Omidyar Network, QED Investors, Valor Capital e e.Brickse. O faturamento não foi divulgado.

Mercado X Concorrentes: Hoje em dia existem mais opções de plataformas de organização financeira. Mas grande parte delas reúne ou concentra informações de uma mesma instituição. Um dos maiores diferenciais do Guiabolso é justamente esse, o de concentrar em uma única tela as informações de mais de um banco ou cartão de crédito. Pode ser que apareça uma empresa que faça algo parecido em algum momento, mas a disputa entre mais players pode ser benéfica ao consumidor, porque vai exigir a excelência de cada empresa e o aprimoramento ainda maior do que elas fazem.

Maiores desafios X Visão de futuro: Um dos grandes desafios é continuar focado nas reais necessidades dos usuários e proporcionar a eles uma experiência incrível. Incrível aqui precisa ser encarado como algo que realmente seja útil e não demande quase nada de esforço. A cada momento o Open Banking sugere inovações que pretendem simplificar a vida das pessoas e a forma como elas recebem e consomem os produtos.

O que vem pela frente: É difícil falar, projetar o que vai acontecer em alguns meses, imagine anos. Mas a meta do Guiabolso é continuar conciliando o uso da tecnologia pra melhor auxiliar o brasileiro a lidar bem com o próprio dinheiro e ser menos impactado pelas injustiças do sistema financeiro atual. Hoje fazemos isso com orientação financeira, dicas personalizadas e a indicação dos melhores produtos pra ele naquele momento. A meta também passa por tentar antecipar tendências e acertar no que vamos oferecer aos usuários a cada momento, qual precisa ser o foco e como fazer isso.

Onde encontrar: App Store, Google Play ou pelo site guiabolso.com.br.

mm
Autor

Jornalista com um pézinho na publicidade e que acredita na comunicação responsável. Gosto das ações que provocam mudanças o mesmo tanto que gosto de bichos.